40 anos – 40 horas

Bonito! Hoje, às 10 da noite, igreja quase cheia para, em adoração ao Santíssimo Sacramento, agradecermos os quarenta anos que já leva a diocese de Setúbal. Às duas da manhã, terminam estas 40 horas continuadas de oração, uma realização quaresmal que vai fazer bem à comunidade.

Desta vez, só posso dizer bem… Com o empenhamento de muitos, as pessoas aderiram em grande número (às 11 da noite, ainda eram mais de 100!), fazendo destes momentos uma paragem para reflexão espiritual. Com muita ordem, em silêncio, compassado com momentos de leitura, cânticos e oração colectiva, apoiados por um videoprojector, os momentos decorriam em comunhão com o Cristo na hóstia consagrada.

Retenho mensagens significativas: a primeira é o agradecimento por sermos comunidade unida pela fé, por nos sentirmos protegidos por um Deus vivido na família, nas amizades, nas obras de caridade que a tantos ajudam. Há momentos de desilusão, é verdade, mas há também outros em que nos sentimos banhados por um amor grande que dá razão à vida. Tantas vezes ouvimos falar da bondade de Deus, que até nos convertemos à alegria de nos sentirmos abençoados.… Somos fracos e pecadores? Claro, mas a Eucaristia não é «o banquete dos filhos pródigos»?

A segunda ideia dominante, que para mim transpirava daqueles textos, era a missão de partilha. Vai e pratica as tuas convicções de fé, mais pela acção que pelas palavras. E se olharmos bem, muita gente nós vemos a praticar a fé, nos muitos serviços que a Igreja oferece aos irmãos.

Os padres da Amora ali estavam a participar pela palavra sugestiva, pela audição de confissões ou também a rezar como qualquer de nós. Será que é assim que crescemos em comunidade? Obviamente…

António Henriques

Leave a Comment