Começar, crer e avançar

Estamos a começar as atividades de um ano bem particular mas, ao qual, nós cristãos devemos reagir positivamente.

É verdade, somos obrigados a usar a máscara, mas a mesma não nos impede de olhar, sorrir e saudar aqueles com quem nos encontramos.

As nossas obrigações, que sempre temos respeitado, não devem impedir-nos de ir ao encontro dos outros. Pelo contrário, ensinam-nos a guardar sempre o mandamento de Jesus: “Amai-vos uns aos outros,” mesmo se temos que evitar certos gestos, que parecem criar distâncias.

Por isso guardemos sempre em nossos corações este otimismo, esta alegria de ir ao encontro dos outros, pois é esse o nosso dever de cristãos.

Guardamos sempre a esperança. É verdade, estamos diante de uma situação inédita, contudo, não é a primeira vez e sempre soubemos reagir positivamente.

É nesessário reiventar algo de novo pois as situações difíceis convidam-nos a olhar à nossa volta, ver as necessidades dos nossos irmãos e colocarmo-nos ao serviço da caridade.

É verdade também, que fomos surpreendidos por este virus e pensámos que a técnica moderna, a medicina, os laboratórios encontrassem imediatamente a solução. Mas não foi assim e então propagou-se em nós e à nossa volta um certo medo.

Nós devemos manifestar a confiança, pois cremos que Jesus ressuscitou e que a morte não tem a última palavra.

Temos que manifestar isso na nossa vida e nunca perder a esperança, pois nada poderá separar-nos do amor de Cristo. Jesus estará sempre conosco, Ele prometeu.

Não tenhamos medo de manifestar esta esperança e esta alegria de viver, pois mesmo sendo difícil, o cristão é alguém que está sempre firme, como Maria ao pé da cruz, embora com o coração transpassado, ela lá está de pé olhando o seu filho crucificado.

Assim, aos domingos, nós manifestamos esta esperança indo à igreja ao encontro da comunidade cristã. Tudo é feito para que nos sintamos seguros e protegidos.

As missas televisivas são importantes, mas são para quando estamos doentes ou impossibilitados de ir à igreja.

Alguém disse que está com saudade da comunidade, de unir-se a ela para rezar e participar ativamente.

Vemos que a sociedade tem necessidade e sede de fraternidade, então vamos construir esta fraternidade, vamos inventar coisas novas para vivermos juntos, sem medo, na fé e na esperança.

Manifestemos a nossa fé, a nossa esperança e a nossa alegria de viver, que são próprias do cristão.

Amora 01 Outubro 2020

Padre Geraldo – Pároco

Leave a Comment