Deus escolheu como bem-aventurados os últimos

Comment (1)

  1. Pe. Pedro Cerantola (Post author)

    DEUS ESCOLHEU COMO BEM-AVENTURADOS OS ÚLTIMOS
    “Bem-aventurado …” é a primeira palavra do primeiro salmo. A ela faz eco a primeira palavra do primeiro discurso de Jesus, sobre a montanha:
    Bem-aventurados os pobres. O que significa bem-aventurado, uma palavra estranha e um pouco adocicada? A mente vai logo aos seus sinónimos: feliz, contente, afortunado. No entanto esse termo não pode ser entendido só no mundo das emoções, empobrecido por um estado de espírito fortuito. Indica mais um estado de vida, considera a certeza mais humana que temos e que todos nos une na busca da vida: a aspiração à alegria, ao amor, à vida. Felizes, é como dizer: de pé, em caminho, avante, vós, os pobres (A. Chouraqui), Deus caminha convosco; erguem-se, sem desanimo, vós os não violentos, sois o futuro do mundo; coragem, levanta-te e deita fora a capa do luto, tu que estás a chorar; não deixe teus braços caídos, tu deves produzir paz e amor. Uma profundeza de vida a qual nunca vai chegar plenamente, Evangelho, Boa Nova que continua a maravilhar-nos e a escapar-nos, mas, no entanto, a salvar custe o que custar; saudade poderosa de um mundo feito de sinceridade e paz, de justiça e corações puros, de uma maneira totalmente diversa de viver.
    As bem-aventuranças não são mais uma lei ou um novo mandamento, mas a bela e Boa Notícia que Deus presenteia de alegria quem produz amor, quem toma a seu cargo a felicidade do outro e a quem Deus Pai se compromete para a sua felicidade. Vosso é o Reino: o Reino é dos pobres porque o Rei se fez pobre. A Terra é dos mansos porque o Poderoso se fez manso e humilde. Quem presenteia futuro para esta Terra embebida de sangue (“A voz do sangue do teu irmão grita por mim da terra” Gen. 4,10), planeta de túmulos? Quem tem mais armas, o mais forte, o mais feroz? Não, bem pelo contrário, o que promove a paz, o não violento, o misericordioso, o que toma cura do outro?
    A segunda bem aventurança diz: “felizes os que choram”. A bemaventurança mais paradoxal: lágrimas e felicidade misturadas, mas não porque Deus ame a dor, mas porque nas lágrimas Ele está contigo. Um anjo misterioso anuncia a toda pessoa que chora: “o Senhor está contigo.” Deus está contigo, no mais profundo das tuas lágrimas, para criar e multiplicar a coragem; em toda tempestade está ao teu lado, força da tua força, barreira de segurança aos teus medos. Como com os seus discípulos quando foram apanhados pela tempestade no mar da Galileia, Ele está aí na força dos remadores que não se entregam, nos braços fortes de quem segura o leme, nos olhos da sentinela que aguarda a aurora.
    Jesus anuncia um Deus que não é imparcial, mas tem as mãos presas na luta da vida, e tem uma fraqueza para os fracos, começa sempre pelos últimos, pelos submersos da história, pelos descartados do mundo, para criar com eles uma história que não avança pelas vitórias dos mais fortes, mas nas sementeiras de justiça e nas colheitas de paz. E. Ronchi – Avvenire – PC.

Leave a Comment